Belterra

You are currently browsing the archive for the Belterra category.

 

Oficina Tela Brasil ensina técnicas de cinema

a jovens de Belterra, de sábado (28.07) a terça (07.08)

O projeto, patrocinado pela Fundação Telefônica|Vivo, tem aulas gratuitas de roteiro, direção, edição e produção de vídeo. Curtas-metragens produzidos durante a oficina serão exibidos ao público no dia 11.08 

 Ensinar jovens de comunidades a produzir e a contar suas próprias histórias, essa é a idéia da Oficina Tela Brasil, idealizada pelos cineastas Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi (realizadores dos filmes O Bicho de Sete Cabeças, Chega de Saudade e As Melhores Coisas do Mundo). A oficina que ensina técnicas de cinema gratuitamente será ministrada em Belterra entre os dias 28.07 e 07.08. Em quatro anos de atividade, a Oficina Tela Brasil já passou por 85 cidades e acumula 1961 alunos.

O curso, patrocinado pela Fundação Telefônica/Vivo, será realizado no Centro de Referência de Assistência Social. Durante dez dias, os alunos aprendem técnicas de edição, roteiro, direção e produção e ainda produzem curtas-metragens, exibidos em sessão aberta ao público, sábado (11.08), na tenda do Cine Tela Brasil. A exibição será acompanhada de perto por um profissional do cinema, que divide com os jovens suas experiências no mercado audiovisual.

Os interessados em participar da oficina têm até o dia 17.07 para preencher ficha de inscrição no Centro de Referência de Assistência Social, na Escola Municipal Darcy Vargas e na Escola Municipal Manuel Garcia de Paiva, ou ainda pelo Portal Tela Brasil (www.telabr.com.br). São vinte vagas abertas para jovens a partir de 14 anos. Para garantir a presença dos alunos, cada um recebe uma ajuda de custo para transporte e pesquisa no valor de R$ 10 por dia.

Dezenas dos vídeos produzidos nas Oficinas Tela Brasil foram premiados em importantes festivais, como o Tia Dita (20º Festival Internacional de Curtas de São Paulo; VIII Festival Araribóia em Niterói e 16ª edição do Vitória Cine Vídeo, em Vitória); Pão com mortadela e meia mussarela (19º Festival  de Curtas de São Paulo, Goiânia Mostra Curtas, Visorama 3, Festival Visões Periféricas e CineCufa 2009); Dr. Poporowiscky (4º Festival de Jovens Realizadores de Audiovisual do MERCOSUL e Festival CineCufa); além disso, 32 dos 161 vídeos selecionados para o CineCufa – Festival Internacional de Filmes de Periferia (Rio de Janeiro, 2009) são frutos das Oficinas Itinerantes de Vídeo Tela Brasil.

Com uma câmera na mão, esses jovens produzem trabalhos surpreendentes. Nosso maior objetivo é que os alunos usem as Oficinas como uma ferramenta de expressão para que eles contem, por meio do audiovisual, suas histórias e seus sonhos”, fazem coro Luiz Bolognesi e Laís Bodanzky.

 Portal Tela Brasil – Para ampliar a abrangência das oficinas, foi criado, em parceria com a Fundação Telefônica, um portal (www.telabr.com.br) com conteúdo audiovisual onde os jovens encontram exercícios virtuais, textos lúdicos sobre as diversas áreas do audiovisual, filmografias, bibliografias e links comentados, informações sobre editais, festivais e concursos.

Sobre a Telefônica|Vivo – A Fundação Telefônica|Vivo atua com o fim de contribuir para o desenvolvimento social dos países onde está presente. No Brasil, a instituição foi criada em 1999 e possui linhas de atuação voltadas para o acesso à  educação, a melhoria da qualidade educativa e a divulgação do conhecimento. Em 2011, com a fusão entre a Vivo e a Telefônica, a Fundação incorporou os projetos do Instituto Vivo e ampliou sua atuação para todo o país. Para conhecer mais, acesse www.fundacaotelefonica.org.br. 

foliões prestigiando carnaval

Conforme programado o carnaval de Belterra foi só alegria, os brincantes poderam aproveitar ao máximo os três dias de festa.

No dia 19, domingo a abertura oficial deu-se com desfiles dos blocos Coroas de ouro; Porto novo e amigos da folia; A mocréias; No coador é melhor; De olho no periquito e Amigos da terra, finalizando a noitada com show da banda Swing. No dia 20, nem parecia uma segunda- ferira e o intusiasmo só aumentava assim como o número de participantes que se divertiam impussionados pelos blocos da Camisinha; Os piratas; Amigos da onça; Xupa manga; e Os venenosos na folia, a noite foi encerrada ao embalo das bandas Transamérica e Sabor de mel.

A ultima noite de carnal não teve chuva ou falta de energia que impedissem centenas de foliões em fazerem-se presente a rua  principal da cidade onde onde a arquibancada e palco devidamente estavam apostos. O trio elétrico se encarregou da mutidão, fazendo um verdaderiro arrastão para delírio dos carnavalescos; no palco a banda da Arena se encarregou de finalizar o show, missão difícil já que alegria era geral e sem espectativa de fim..

 

 

 

 

O Projeto Bandeira Científica chegou em Belterra no dia 13/12, e logo no dia 14 começaram suas atividades, com atendimentos médicos, odontológicos, psicológicos, fisioterapêuticos e fonoaudiológicos. Além da construção de uma horta comunitária de plantas medicinais. As atividades educativas contam com a ajuda e contribuição da população belterrense, que está doando as mudas de plantas.


Casa Familiar Rural

Nos dias 14 e 15 uma equipe do Projeto esteve na Comunidade do Prata – Km 72 da Br 13, onde está localizada a Casa Familiar Rural, no local foram desenvolvidas várias atividades com cerca de 30 alunos da CFR, como: Oficina de Construção de Fossa Séptica biodigestora; Oficina de Compostagem para produção de adubo orgânico; Oficina de educação financeira e Oficina de produção de sabão.

A finalização da construção da Fossa Séptica, na Casa Familiar Rural.

O Projeto Bandeira Científica foi idealizado no início da década de 1950 por acadêmicos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), sendo consolidado a partir de 1957. Voltada para a educação e a pesquisa de campo na área médica, a Bandeira manteve em vista a atuação dos estudantes (em média 25 por ano) em um contexto diferente daquele visto nos hospitais, por meio do contato com diferentes realidades da população brasileira.
A expedição do Projeto em Belterra têm o apoio da Prefeitura do Município e ficará na cidade até o dia 23 de dezembro.

Em uma das etapas em Belém-Pa

O seminário, “Lançamento da Plataforma dos Municípios Periurbanos para a Política Nacional de Desenvolvimento Urbano” realizar-se-à no dia 24 de novembro de 2011, na Câmara Federal em Brasília/DF, a ser realizado pela FASE Programa Amazônia, como parte integrante do projeto Desenvolvimento Integrado na Política Urbana Nacional: um direito dos municípios periurbanos da Amazônia e do Nordeste, desenvolvido pela FASE com apoio da OXFAM e União Européia.
O objetivo do seminário é apresentar aos Parlamentares Federais, a Plataforma das Cidades Periurbanas, resultado de dois anos de estudos e debates regionais e nacionais promovidos pela FASE em parceria com movimentos e organizações da sociedade civil e academias, através dos Observatórios de Políticas Públicas e Movimento Social na Amazônia – COMOVA/UFPA-FASE, das Metrópoles – UFPE-FASE, Fórum Nacional de Reforma Urbana (FNRU), Fórum da Amazônia Oriental (FAOR) e Fórum Nordeste de Reforma Urbana (FNERU).
Este Seminário constitui-se na etapa final do projeto, momento em que serão apresentadas as proposições para que a Política Nacional de Desenvolvimento Urbano inclua em seus princípios, diretrizes, instrumentos e fontes de financiamento o atendimento às especificidades das cidades da Amazônia e do Nordeste.
Em Belterra a pauta tem sido trabalhada em fóruns locais e regionais realizado com a sociedade civil organizada e o governo municipal.

 

Mulheres sendo recepcionadas na praça Brasil.

Belterra Sedia o VIII Congresso da Associação Organizada das Mulheres Trabalhadoras do Baixo Amazonas.
Esteve presente na abertura do evento Vereadoras(os), Secretarárias (os), Prefeito do Municipio e outros convidados.
Delegadas dos municipios de Alenquer, Terra Santa, Oriximiná, Juruti, Almerim, Prainha, Curuá, Monte Alegre, Óbidos, das comunidades do Rio Arapiuns e de Santarém. São mais de 100 mulheres participando do Congresso que tem como tema “Mulher Construindo a Plataforma Feminista na Amazônia”, que terá duração de três dias 06,07 e 08 do mês corrente com várias pautas, tais como:

*Ato público na Praça Brasil;
*Análise da mulher construindo a plataforma feminista na Amazônia;
*Mulher e o desenvolvimento sustentável a partir das novas politicas públicas para a Amazônia;
*Violência doméstica, Ações afirmativas para erradicação;
*Saúde da mulher é um bem que se quer.
Na ocasião será aberto para inscrição de chapas que disputarão e elegerão a nova diretoria com pleito para os anos 2011 e 2014.

Tags: , , , ,

No próximo sábado,  participe de uma oficina ministrada por David, coordenador do núcleo empreendimentos sustentáveis  do Projeto Saúde e Alegria que trabalha com o eco turismo de base comunitária.

Em um primeiro encontro realizado cerca de vinte dias atrás com o numero de nove jovens, surgiram muitas duvidas, que foram devidamente respondidas por David e Silvaney, mas foi de consenso geral que potencial turístico existe em Belterra e força de vontade por parte dos presentes não faltará.

A ideia é organizar um grupo de pessoas que possuem espírito empreendedor, para estes recebam uma capacitação e se disponham a desenvolver  a atividade em Belterra. A proposta é ousada, que trabalhe empreendimentos sustentáveis visando o desenvolvimento social e económico. Esteja presente e faça valer a denominação que a Bela Terra possui.

Dia 04(sábado) de junho, às 8:30 no Telecentro de Belterra (Casa Brasil).

 

 

Belterra completa 77 anos no dia 04 de maio, próxima quarta feira. Com o apoio do Projeto Saúde & Alegria e Instituto Vivo estamos finalizando um vídeo de cinco minutos denominado Conexão Belterra, a tarefa relâmpago iniciou à seis dias atrás quando surgiu a ideia em exibir o material na programação de aniversário da cidade.
Durante a semana foram realizadas entrevistas e captura de imagens para o trabalho de edição. Segundo Bob Barbosa que está trabalhando esta parte provavelmente teremos que entrar pela noite do contrário o vídeo não será concluído a tempo.
De acordo com a programação o vídeo será exibido às 19: 30 em um telão antes dos parabéns à Belterra.
Venha prestigiar mais um trabalho desenvolvido no telecentro pelos jovens de Belterra!

Belterra fundada em 4 de maio de 1934, tem 16.313 habitantes, uma cidade com muitos atrativos, histórias,  cultura… É possível a partir de determinadas áreas de Belterra ter uma vista panorâmica, com características arquitetônica de uma cidade americana, Belterra é muito visitada por turistas de diferentes países e regiões.

É impossível não ter orgulho ao ser Belterrese, fato que deve-se à beleza histórica, física e outros preceitos pertencentes à Belterra.

Parabéns Belterra!

 

 

 

 

Veja a programação Aniversario Belterra 77 Anos

Hidrante, uma lembrança dos tempos da Ford Company

Algumas organizações civis de Belterra locadas na área de abrangência desde a Rua Gaúcha, Vila Piquiá, Felisberto Camargo, Viveiros I, II e III até a Frei Vicente,  reuniram-se para debater suas funções como organizações e as principais dificuldades enfrentadas pelas mesmas. Um mapa foi exposto apontando importantes referenciais da área como escolas, clubes de futebol, área reservada ao Instituto Butantan, micro – sistema de água e associações. O que levou a concluir-se o grande potencial daquela área e que se as associações existentes alí fossem mais unidas facilmente seriam solucionadas as demandas.

Em um novo encontro com todos os representantes das diretorias foi agendado e estes se fizeram presentes.  No dia acordado representantes da ASFEBEL (Associação Feminina de Belterra), AMPROVIBEL (Associação dos Moradores da Vila Piquiá), ASCEMVIA (Associação dos Moradores das Ruas Viveiros I, II e III), AMEBEL (Associação de Meliponicultores de Belterra) e LEÃO (Leão Esporte Atlético Clube). Todos contribuíram e o debate foi muito proveitoso, algumas colocações foram levantas quanto à necessidade de maior fortalecimento para que as organizações possam continuar com suas atividades em prol da comunidade. Foram identificados situações como falta de iluminação pública em algumas ruas, água encanada e a coleta de lixo, problemas possíveis de solução, mas que para maior êxito de execução as organizações tem de estar juntas, encaminhando aos devidos setores para que estes possam dar respostas aos moradores daquela área.

Alguns passos foram obtidos como por exemplo do sistema de água, o Secretário Municipal de Obras e Viação junto ao responsável pela obra de implantação do micro sistema de água que beneficiará grande parte da área foi convidado para fazer esclarecimentos. Tendo em vista a demora na conclusão da obra, a Rede Celpa também foi convidada oficialmente mas não compareceu o responsável para prestar esclarecimentos.

Outro encontro foi agendado para o dia 19 de março e uma das metas do grupo composto por organizações, moradores e quem mais queira contribuir é o de trabalharem unidas pois comprovadamente a união tem feito a força.

A primeira Gincana de Belterra aconteceu na sede social do União Esporte Clube denominada “Gincana de Férias” com as equipes UNIBEL (torcida do UEC) e BELT (torcida do ABC). O evento idealizado pela belterrense Lígia Mônica e pelo santareno André Cavalcante tinha finalidade de atrair a juventude que estava de férias das atividades escolares e visitantes para um momento de alegria e cultura.
Em 1996, a gincana de férias passou a se chamar Gincana Cultural, sendo realizada todo mês de maio em comemoração ao aniversário de Belterra, e com participação de três equipes:
HUTERERÊ – Alegria! Com um coringa como símbolo da diversão, distração e vitória, e nas cores verde e branca.
EKIPIRAÇA – Representando a força e a união de um povo, tendo como mascote um halterofilista, e nas cores azul e branca.
OS PIRATAS – Grupo livre, fora de regras, aventureiro e ousado com o símbolo de uma caveira (perigo constante para a concorrência), e nas cores preta, vermelha e branca.
Essa disputa aconteceu na quadra da Escola Santo Antonio e os participantes (no mínimo 50 por equipe) eram separados por cordas dentro da quadra. A equipe Hutererê foi a campeã, EkipiRaça em segundo e Os Piratas em terceiro.
Durante anos a gincana é palco de grandes apresentações atraindo público de várias cidades do país e lotando a quadra de esportes da Escola Santo Antonio. Somente no ano 2000 não houve a competição. Atualmente, as equipes competidoras são Ekipe Raça e Os Piratas, e esse ano, segundo o blog de Mônica Belterra, a Gincana Cultural voltará a ser nas férias escolares do mês de julho.
Foto Rede Mocoronga
Foto Blog Mizael Santos

« Older entries