Articles by Monica de Almeida

Estudante de Jornalismo, evangélica, ativista social, político e ambiental.
Atualmente dedica-se à pesquisa da história do município de Belterra e à atualização do Blog de Belterra e do Blog da Mônica Belterra.

Começou nesta manhã, 05/12, o 3º Sarau Literário da Biblioteca “Ler é Preciso”. O evento é comemorativo ao 4º aniversario de funcionamento da biblioteca no município de Belterra. O Sarau acontece na área do Bosque das Seringueiras, próximo a Prefeitura de Belterra.
 
Durante a programação do 3º Sarau Literário, haverá participação de todas as escolas do Município desenvolvendo as seguintes atividades:
 
-Recitais de poesias;
 
-Brincadeiras;
 
-Cordel;
 
-Danças;
 
-Apresentações musicais de violão, teclado e canto;
 
-Mostras de produtos artesanais entre outras atividades.
 
A Biblioteca Ler é Preciso tem sido uma grande incentivadora para que as crianças, jovens e  adultos de Belterra, cultivem o hábito da leitura.
 
“Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não lêem”. (Mario Quintana)
 
Texto de Daniel Rodolfo e Ana Cláudia Santos.

Um avião da Força Aérea Brasileira(FAB) pousa hoje, 13, as 13:30h, no Aeroporto Wilson Fonseca em Santarém no Pará, conduzindo 170 estudantes da Universidade de São Paulo(USP). O destino do grupo é município de Belterra, onde desenvolverão o Bandeira Científica, projeto da USP que ficará nove dias na cidade, realizando atendimentos de saúde e atividades educativas.

O prefeito de Belterra Geraldo Pastana, a Secretária de saúde Eliselma Macedo e a secretária de Educação Dilma Serrão recepcionarão os integrantes do Bandeira Cientifica no Aeroporto de Santarem. Este projeto é muito importante para nossa cidade, pois o foco é saúde e por isso estamos dando todo a apoio necessário, afirma Geraldo Pastana.

Em Belterra, os profissionais de saúde e os estudantes oferecerão consultas a toda população. Os pacientes já foram selecionados pelos agentes comunitários de saúde e terão prioridade de atendimento.

Já as equipes de Engenharia, Agronomia, Administração e Economia realizarão palestras sobre agricultura familiar, educação financeira, e ensinarão os moradores a construirem fossas ecológicas.

O projeto inicia no dia 14 e fica na cidade até 21 de dezembro.

 

O grupo Tapajós formado por jovens da cidade de Belterra e das comunidades ribeirinhas de Capixauã e Suruacá, município de Santarém, Oeste do Pará, é convidado especial do II Festival de Arte-educação “A Cidade CRIA Cenários de Cidadania”, que começou ontem, dia 11, e termina na quarta-feira, dia 16 de novembro, em vários pontos do Pelourinho e no Solar Boa Vista, na cidade de Salvador(Ba). O grupo se apresenta pela primeira vez na Bahia, promovendo um intercâmbio de fazeres e conhecimentos com artistas, arte-educadores e público local.

 

O intercâmbio foi viabilizado pelo Vivo EnCena, programa cultural da Vivo para as artes cênicas, que é parceiro do Centro de Referência Integral de Adolescentes (CRIA) na realização do festival. “Nosso interesse é aproximar as pessoas, revelar suas grandezas, promover essa troca, esse diálogo, mostrar o quanto é importante transitar entre as fronteiras de linguagens, culturas, regiões e gerações”, enfatiza a diretora de arte do CRIA, Maria Eugênia Milet.

O grupo Tapajós, apresenta a peça “Aquele que diz sim, e Aquele que diz Não – O exercício cênico” e a mostra cultural “Belterra, Capixauã e Suruacá – Beirando o rio, nosso lugar”, hoje, dia 12 de novembro, às 15 horas, no Solar Boa Vista. Na mostra, os participantes, que pela primeira vez se apresentam em um palco de teatro, contarão um pouco sobre suas comunidades nas quais vivem às margens do Rio Tapajós.

O grupo participará de uma oficina com projetos comunitários e do próprio CRIA, resultando no trabalho que será mostrado ao público, às 15h, também no Solar Boa Vista, no dia 15 de novembro.
O grupo estará representado também no seminário “Arte-educação em rodas de conversa”, que acontece no dia 16, encerrando o festival. Juliana Balsalobre e Roger Muniz (Grupo Tapajós/PA) participarão do diálogo sobre teatro comunitário, entre 10h e 12h.
Nesta sexta-feira, dia 12 de Agosto, o Globo Repórter dará destaque para a cidade de Belterra no Pará, futuro Estado do Tapajós.
É que durante o programa sobre o Rio Amazonas, gravado ainda no ano passado, o repórter José Raimundo conheceu Belterra.
A cidade foi construída na década de 30 para ser a grande produtora de borracha natural do mundo. Quem contará esta história é o poeta Francisco Bezerra, o seu Tica.
Com sete pontos de vantagem, a equipe Os Piratas  venceu a XIV Gincana Cultural de Belterra realizada neste fim de semana.
É o sétimo título conquistado pela equipe durante os quatorze anos da competição.
Nos dias 15 e 16, a Prefeitura de Belterra realiza a XIV Gincana Cultural, com a disputa entre as equipes Raça e Os Piratas. No último dia 12, pela manhã aconteceu um passeio ciclístico que marcou o início da programação  da gincana, onde as duas equipes sairam de frente a Escola Eny Ataíde até a Praça Brasil, onde foi apresentado as tarefas a serem cumpridas nesta próxima sexta e sábado na quadra de esportes Santo Antonio. O início da gincana nas duas noites está previsto para as 19h30.

Este ano a coordenação do evento, juntamente com a direção das equipes decidiram  realizar a Gincana nas férias de julho, repetindo o que aconteceu na primeira edição onde era chamada de Gincana Cultural de Férias. Com a prefeitura de Belterra assumindo a organização do evento a gincana passou a ser realizada dentro da programação do aniversário de Belterra. A argumentação da prefeitura e aceita pelas equipes é que o evento era realizado em maio, pouco depois do carnaval e como as equipes participam deste evento também a organização da gincana, a preparação das equipes e o apoio financeiro da prefeitura eram prejudicados pela proximidade dos dois eventos.Vamos torcer pra que tudo dê certo e que vença a melhor equipe.

Em discussão realizada na noite de ontem(13) em Manaus, os paraenses que residem na capital amazonense, decidiram criar um comite em apoio ao movimento do Estado do Tapajós. A idéia é atrair o maior número de pessoas, inclusive moradores de outros estados para participarem dessa mobilização.
Na reunião estiveram presentes empresários, jornalistas, pastores e demais pessoas que se colocaram a disposição para ajudar na divulgação do plebiscito no Amazonas.
De acordo com Luiz Alberto, que é membro do movimento, a mobilizacão deve começar dentro de cada lar dos que querem que realmente esse sonho se realize e a partir dai atingir a vizinhança, amigos, parentes, associações de bairros, igrejas e demais locais como a internet através das redes sociais.
Outra proposta discutida além da vinda do coordenador do Plebiscito pelo Estado do Tapajós, Professor Edivaldo Bernardo, foi a gravação de vídeos com depoimentos de paraenses que militam em diversas áreas em Manaus e que querem o novo estado. Temos que usar todas as nossas armas, temos que mostrar que não é o que estão pregando ai a fora, o Estado do Tapajós mudará sim a vida do povo da região, afirmou Luiz Alberto. No final da reuinão foi feita uma oração pelo povo do oeste do Pará que vive um momento histórico.
Por Regis Balieiro- Jornalista
“É a quarta vez consecutiva que a belenense Elisvane Oliveira, 31, vence esta maratona”, assim anunciava o apresentador para chamar ao palco a vencedora da categoria feminina na XII Maratona de Santo Antônio realizada na manhã do dia 12, domingo, na Praça Brasil de Belterra/PA. Como ela, mais de 50 pessoas disputaram a premiação avaliada em mais de R$ 15.000,00 distribuída nas categorias principais: masculina e feminina além da categoria máster.
A Maratona de Santo Antonio ocorre anualmente desde 1999, organizada pela Prefeitura Municipal de Belterra através da divisão de Desporto da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto. Os competidores percorrem mais de 40 km desde o 8ª BEC, na BR 163 até a Praça Brasil de Belterra.
Segundo o campeão da categoria masculina,  José Ribamar Gomes(Goianésia/PA), a Maratona estava bem organizada  mas faltou um número maior de competidores para a disputa ficar mais acirrada. Ele disse que ficou feliz de ter a sua primeira vitória após duas tentativas com a terceira colocação.
Neste ano,  a novidade foi a premiação para os belterrenses mais bem colocados nas três categorias: Emanoel Alan Lima Oliveira(Masculino principal), Adriana Lopes de Farias(Feminino principal) e Haroldo Pereira da Silva(Máster).

 

Conheça todos os vencedores neste link.

Em seus 77 anos de fundação, Belterra inicia um novo projeto educativo dando ênfase a um novo modelo de educação voltado para o fortalecimento da cidadania e empreendedorismo rural. É este o propósito da Casa Familiar Rural de Belterra, criada por um conjunto de esforços coletivos, com destaque para o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Belterra, a Associação dos Produtores Rurais de Boa Esperança e Fé Em Deus – AMPRUBEF e apoio da Prefeitura Municipal de Belterra, entre outras entidades.

Com este esforço coletivo foi criada a Associação das Famílias da Casa Familiar Rural de Belterra que tem como Presidente o Agricultor Francisco Chagas Agustinho da Silva – da comunidade do Prata –km 62 da BR-163 e Tarcilo Castro Neves – da Comunidade de Piquiatuba-Tapajós.

A Casa Familiar Rural de Belterra – CFRB funciona na comunidade do Prata em uma área de 32 hectares, doada por Geraldo Pastana e Ranulfo Peloso.

A nova modalidade de educação iniciou no dia 04 de abril com duas turmas de nível médio em Técnico Agropecuário. Uma turma da região do Tapajós e outra turma do Planalto e Cidade.

As Casas Familiares permitem que as pessoas se qualifiquem e possam adaptar-se à evolução da profissão em conjunto com a sua família e comunidade onde vivem.

A primeira Gincana de Belterra aconteceu na sede social do União Esporte Clube denominada “Gincana de Férias” com as equipes UNIBEL (torcida do UEC) e BELT (torcida do ABC). O evento idealizado pela belterrense Lígia Mônica e pelo santareno André Cavalcante tinha finalidade de atrair a juventude que estava de férias das atividades escolares e visitantes para um momento de alegria e cultura.
Em 1996, a gincana de férias passou a se chamar Gincana Cultural, sendo realizada todo mês de maio em comemoração ao aniversário de Belterra, e com participação de três equipes:
HUTERERÊ – Alegria! Com um coringa como símbolo da diversão, distração e vitória, e nas cores verde e branca.
EKIPIRAÇA – Representando a força e a união de um povo, tendo como mascote um halterofilista, e nas cores azul e branca.
OS PIRATAS – Grupo livre, fora de regras, aventureiro e ousado com o símbolo de uma caveira (perigo constante para a concorrência), e nas cores preta, vermelha e branca.
Essa disputa aconteceu na quadra da Escola Santo Antonio e os participantes (no mínimo 50 por equipe) eram separados por cordas dentro da quadra. A equipe Hutererê foi a campeã, EkipiRaça em segundo e Os Piratas em terceiro.
Durante anos a gincana é palco de grandes apresentações atraindo público de várias cidades do país e lotando a quadra de esportes da Escola Santo Antonio. Somente no ano 2000 não houve a competição. Atualmente, as equipes competidoras são Ekipe Raça e Os Piratas, e esse ano, segundo o blog de Mônica Belterra, a Gincana Cultural voltará a ser nas férias escolares do mês de julho.
Foto Rede Mocoronga
Foto Blog Mizael Santos

« Older entries